sexta-feira, 4 de maio de 2012

Poeta


Eder Boaventura



Caro apreciador da bela Arte;
enfermo da doença Poesia;
tu que sonhas co' o amor e co' a magia...
Paciente que sofre a dor de enfarte...

Tu quimeras, poeta, anela a Marte,
um amor que encarcera todo dia;
e derramas as gotas de agonia,
por alguém que não faz a sua parte.

Galante o pensamento teu divino
que revelas em versos puro amor,
esperando ganhar o teu troféu.

Admiro-te, bardo pequenino,
pois quanto mais mostrardes este ardor,
merecerás a ti sublime céu.

27/04/2012 4h09

2 comentários:

  1. Admiro quem domina a arte do soneto.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Sua técnica é formidável. Adoro isso!

    Beijos Cairo!

    ResponderExcluir